segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

O frio faz coisas

Entre o dia 12 e 28 de fevereiro vem acontecendo a 21ª edição dos Jogos Olímpicos de Inverno, realizado na cidade de Vancouver, no Canadá. Em virtude do aquecimento global esta será a edição mais “quente” da história das Olimpíadas. E isso, certamente, deve-se aos chineses e americanos, os quais questionarei até que decidam usar o poder monetário de que provêm para o desenvolvimento sustentável que o nosso Planeta necessita.


A seguir, disponibilizarei algumas imagens colhidas de algum site menos idiota do que este, acompanhadas de comentários nem sempre agradáveis. Figuras que tentam transparecer um ar menos cinza aos Jogos, em algumas oportunidades, mais coloridas, similares a alguns BBBs que conhecemos.



O belga Kevin van der Perren, concorreu na patinação artística vestido de caveira. Talvez para homenagear um competidor georgiano, falecido um dia antes do início das Olímpiadas de Inverno.



Jana Khokhlova e Sergei Novitsky, da Rússia, vestiram-se de pássaros na tentativa de alçar vôo numa alucinante fuga do frio canadense que deixa até a quem assiste os Jogos pela televisão uma sensação térmica diminuta.



Diretamente do Japão, é apresentado Keiichiro Nagashima, o Dragão Dourado, que vem para substituir Jean Claude Van-Dame, na continuação do filme “Dragão Branco”, que só mudou de cor, para acordar com o espírito olímpico.



O conterrâneo de Nagashima, Kohei Kudo, além de competir com uma vestimenta super chamativa, usa uma cor fluorescente para destacar ainda mais o seu traje pra lá de peculiar que, também, pode servir de iluminação nas provas noturnas das Olimpíadas.



Fugindo um pouco do padrão sofisticado da França, o casal de patinadores artísticos Nathalie Pechalat e Fabian Bourzat resolveram vestir um modelo vaqueiro, em homenagem à Taylor Swift, vencedora de quatro Grammys. Quem resolver homenagear a Lady Gaga tá fudido.



Esta é a equipe norueguesa de curling, que poderia ser confundida com a croata. Esta calça de palhaço deveria ser adotada pelos nossos hermanos argentinos.



A australiana Tatiana Borodulina é bonitinha e parece ser fã do seriado “Prison Break”, no entanto, ela é um pouco menos arrojada do que Michael Scofield e apenas usa uma “roupa-mapa”, ao invés da “tatuagem-mapa” do personagem.



A norte-americana Hannah Kearney parece ter acordado atrasada para as competições e foi disputá-las de pijama mesmo. Pouco importa, ela conseguiu a medalha de ouro da mesma maneira.


Vou acabar com este lixo de uma vez, antes que você, meu único leitor, fique entediado, mas gostaria de relatar a maior surpresa dos Jogos Olímpicos de Inverno que foi o Brasil não ter conquistado nenhuma medalha. Realmente inacreditável.


Por: João Marcos

3 comentários:

  1. vcs já foram melhores!

    ResponderExcluir
  2. João Marcos, após um período de recesso cibernético, estou dando o prazer de minha volta (quanta humildade, rsrsrs). O seguinte, se tivesse levado a Delegação de São Joaquim (nem que fosse pra atirar flecha na maçã), pelo menos um bronze teríamos conquistado!

    ResponderExcluir
  3. Curti a calça dos noruegueses. Dá uma bela bermuda pro verão. Só mandar aquela tia mais velha fazer a bainha.

    ResponderExcluir